Pec Pecuária de resultado

Dicas Especiais

Segunda-feira, 17 de Novembro de 2014

Doenças Entéricas

A diarreia acontece quando há uma falha de absorção ou excesso de secreção dos fluidos intestinais. Nos bovinos a diarreia tem grande importância entre os bezerros neonatos, pois são os mais afetados devido o estágio inicial de desenvolvimento do sistema imune. A diarreia é responsável por grandes perdas econômicas refletidas através do baixo ganho de peso, da mortalidade e dos gastos com tratamentos.

A diarreia neonatal ocorre nas primeiras quatro semanas de vida e é definida como um aumento na frequência de defecação ou no volume das fezes. É um problema comum em bezerros e pode ser causada por uma ampla variedade de agentes infecciosos ou pode ser de caráter nutricional. É evidente que os principais casos de diarreias estão concentrados nos bovinos leiteiros, onde a alta taxa de lotação e o grande contato entre os animais favorecem a disseminação dos patógenos.

Independentemente do agente causador da diarreia, a sintomatologia clínica é semelhante para a maioria dos casos em neonatos, com alteração do aspecto das fezes, desidratação, apatia, anorexia, queda de peso e muitas vezes podendo levar ao óbito.

Existem alguns fatores que podem predispor ao aparecimento da diarreia em bezerros, tais como:

  • Falha na transferência da imunidade passiva (problemas na ingestão do colostro)
  • Condições inadequadas de manejo e higiene
  • Estresse
  • Fatores Nutricionais

Muitos agentes podem estar envolvidos neste complexo e entre eles destacam-se agentes de origem bacteriana como Escherichia coli, Salmonella spp, Clostridium perfringens tipo C; de origem viral como rotavírus e coronavírus; e protozoários como Eimeria spp, Giardia sp. e Cryptosporidium spp. Estes agentes podem causar diarréia isoladamente ou em associação.

A Escherichia coli é o maior representante dos agentes causadores de diarreia em bovinos de corte e de leite, é caracterizada por provocar uma diarreia aquosa de coloração amarelo-pálida e esverdeada, desidratação e óbito. A Salmonella spp. também tem uma alta prevalência no rebanho brasileiro e assim com a E.coli está presente no trato gastrointestinal de todos os mamíferos domésticos, a diarreia possui um aspecto aquoso, porém de coloração marrom, com presença de fragmentos de mucosa e estrias de sangue.

Entre os vírus causadores da diarreia destacam-se o Rotavírus e o Coronavírus. Ao contrário da salmonelose e da colibacilose, as infecções por rotavirus são adquiridas do meio externo por via oral. As infecções virais muitas vezes predispõem os animais a infecções bacterianas, levando a um agravamento do quadro inicial.

Em bovinos há também quadros de diarreia causados por protozoários como a Eimeria spp. e o Cryptosporidium. Estes protozoários estão presentes no ambiente e são transmitidos por via oral, tendem a causar diarreias aquosa, amarelada, com presença de sangue ou muco e uma grande depressão nos animais acometidos. Diferente das diarreias causadas por vírus e bactérias, a diarreia causada por protozoários possui um aspecto enegrecido sendo chamada também de curso negro.

O diagnóstico das diarreias é realizado principalmente através da observação dos sintomas e das características das fezes. Para a confirmação desse diagnóstico e do tipo de patógeno envolvido pode ser realizado um exame de coprocultura. Exames de sangue também podem auxiliar no diagnóstico e direcionamento do tratamento dos animais, de forma que se possa acompanhar a evolução do quadro.

Soluções Biovet

Ciprodez

Sultrinjex

Oxitetraciclina

Fortecilin

Fortecilin Plus

Voltar